JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
Parque das Nações, Chácara 73 Rua 11 – Padre Lúcio, Águas Lindas/GO

CNN Sinais Vitais aborda combate à dependência química e os perigos da overdose

Problemas com Álcool ou Drogas? Podemos ajudar!
(61) 99870-8865 / (61) 99905-8865
Addict,Man,Grab,Drug,Syringe,Of,Heroin.social,Disaster,And,Epidemic

Especialistas apresentam visões distintas na abordagem dos pacientes e nas linhas de tratamento contra o uso de drogas. Nesta semana, o programa CNN Sinais Vitais, apresentado pelo cardiologista Roberto Kalil, discute as perspectivas e os desafios do combate à dependência química como problema de saúde pública. A doença crônica, em muitos casos, pode levar à morte por overdose.

O CNN Sinais Vitais vai ao ar nesta quarta-feira (14), às 22h30, logo após o Jornal da CNN, na faixa nobre da CNN Brasil. No episódio, os psiquiatras Arthur Guerra e Dartiu Xavier mostram visões distintas na abordagem dos pacientes e nas linhas de tratamento.

Um dos maiores riscos do uso de drogas é a overdose, que pode levar ao colapso do organismo e à morte. “Em alguns casos a overdose é deliberada. Eu diria que por volta de 20% dos casos. Mas a grande maioria, 80%, é acidental, a pessoa mediu errado, não calculou bem a quantidade que iria usar”, explica Xavier.

Para Guerra, o risco também está presente no abuso de medicamentos de uso controlado. “Metade dos pacientes que nós recebemos no pronto-atendimento do Hospital Sírio-Libanês ingeriu alguma droga prescritiva”, afirma. Segundo o especialista, houve um aumento no consumo de drogas durante a pandemia, por jovens e adultos, relacionado à pressão psicológica no período. (veja entrevista no vídeo acima)

O programa mostra ainda histórias de pessoas que superaram a dependência química, como a do  enfermeiro Rodrigo Ramalho, que era viciado em cocaína e medicamentos e sofreu duas overdoses, uma delas depois de ingerir 540 comprimidos. “Queria anestesiar a dor com cocaína. A dor estava lá e eu queria esquecer. Eu utilizava qualquer coisa para esquecer. Minha vida era essa”, desabafa Ramalho.

Cintra IT - Tudo para sua empresa ou negócio viver bem na web.

Ao longo do programa, ainda é possível conhecer caminhos que ajudam dependentes e familiares a lidar melhor com o problema. “Quando a pessoa chega no limite da overdose, a dependência já aconteceu”, afirma Roberto Kalil. Porém, o dependente não pode se ver como um fracassado. “Ele só pode acreditar que vai fracassar se não aceitar o tratamento”, conclui.

AVANÇO DAS PESQUISAS NA ÁREA

A equipe viajou para Goiânia para conhecer uma pesquisa promissora que criou um antídoto capaz de reverter a overdose de cocaína e evitar a morte do paciente. A substância não existe no mercado e foi desenvolvida pela equipe do Laboratório de Tecnologia Farmacêutica e Nanotecnologia da Universidade Federal de Goiás (UFG).

“A nanopartícula que nós desenvolvemos age capturando a droga que está solúvel no sangue, fazendo com que ela entre para o interior da nanopartícula, onde sofre uma pequena modificação química e não consegue mais sair. Com isso, conseguimos aprisionar uma quantidade excessiva de droga que estaria circulando no sangue com capacidade de exercer seus efeitos tóxicos tanto no sistema circulatório e no coração quanto no cérebro”, conta a professora Eliane Martins Lima, coordenadora da pesquisa.

Fonte: CNN

Cintra IT - Seu site profissional responsivo! Ligue (61) 98416-7091

Veja mais

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através do navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.